«As Vicentinas» estão como novas. O espírito é o de sempre

Publicado a 06/02/2013, 14:50 por Diogo Assunção   [ atualizado a 06/02/2013, 15:11 ]

Por Luís J. Santos ,04.02.2013

Ao fim de um meio século de vida , “As Vicentinas” têm salão de chá renovado, com nova gestão e nome. Agora Casa de Chá de Santa Isabel, continua a saber conjugar chá (e muito mais), "calor humano" e solidariedade social. E, como sempre, os lucros vão alimentar obras de beneficência.

Ainda não entramos e já percebemos que vamos beber um chá de tempo. Sobre o rendilhado intrincado dos azulejos da fachada, uma velha e sóbria placa que reza Casa de Nossa Senhora do Amparo e é sublinhada com uma ondulada Obra Vicentina. Quase ao lado, uma placa a fumegar novidade, com design moderno e chamativo fundo rosa: diz Casa de Chá de Santa Isabel e, por baixo, Vicentinas. Pela montra, o grande salão até parece mostrar-se tal como se dá a ver desde sempre, mas pressente-se mudança e a ausência do certo ambiente quermesse que se avistava. Em quase palco, uma mesa com seu serviço de chá funciona como chamariz. Será que, ao fim de quase meio século de dar chá a Lisboa em nome da beneficência, as Vicentinas de São Bento mudaram?

A resposta é tanto sim como não. "Quisemos dar uma imagem mais fresca, mais jovem, mais moderna", resume-nos Rita Assunção, que agora dirige a casa. À primeira entrada, há muita gente a ficar surpreendida com as novas paredes verde-água ou cadeiras cor-de-rosa. Mas, com mais ou menos traços modernos, uma coisa é certa: "o espírito tem que se manter". O espírito e muito do que tornou este salão de aconchego, conhecido como As Vicentinas, célebre e estimado: os chás e uns idolatrados scones, os bolos e toda a comida caseira, a afabilidade e o contributo para a solidariedade social.

Comments